África em Pauta‬ – disponível para download gratuito

‪#‎África Em Pauta‬: com conteúdo sobre as histórias da África e a presença dos negros no Brasil, o livro ‘Educação das relações étnico-raciais no Brasil’ oferece indicações bibliográficas e exemplos práticos de atividades inspiradoras que podem ser desenvolvidas em sala de aula.

A publicação, pensada em parceria com a UNESCO, está disponível para download gratuito:

http://unesdoc.unesco.org/images/0023/002321/232103POR.pdf

(Foto: Reprodução)

Coleções para baixar em PDF

Sem título

Coleções para baixar em PDF

http://rmirandas.wix.com/identidafrica#!colecoes/cz23

Os números de 2014

Os duendes de estatísticas do WordPress.com prepararam um relatório para o ano de 2014 deste blog.

Aqui está um resumo:

A sala de concertos em Sydney, Opera House tem lugar para 2.700 pessoas. Este blog foi visto por cerca de 19.000 vezes em Se fosse um show na Opera House, levaria cerca de 7 shows lotados para que muitas pessoas pudessem vê-lo.

Clique aqui para ver o relatório completo

CARTILHA HERÓIS NEGROS DO BRASIL PARA BAIXAR GRÁTIS

afr

https://onedrive.live.com/view.aspx?resid=DE066A896716975!1243&app=WordPdf&authkey=!APka48E9zKebHnA

Livro: A lenda da Pemba

 

Sinopse

A lenda da pemba, presente tanto no continente africano como em nosso país, narra a história de Mipemba, filha de um rei africano, que se apaixona por um jovem e não pode viver essa história romântica devido às tradições culturais de seu povo. Uma paixão impossível que cria uma das mais belas histórias da mística mundial sobre a crença no bem e na manutenção da felicidade, da harmonia e do amor.

 

Diferenças Física e Preconceito

Diferenças Física e Preconceito

O Yorubá

yorubá

yprubá2

Urgente!

Gostaria de comunicar que meu blog Sala de Aula – Professora Rérida foi Hackeado, tive que excluí-lo.
Estou trabalhando para voltar em breve com o novo endereço.
Agradeço a compreensão.
Novo endereço:

Um pouco de nós, um pouco de África – Projeto da minha escola

Esse é um apanhado geral do projeto da EE Bibliot. Maria Luísa Monteiro da Cunha desde 2008.

Festa da África – 2013

Nossa festa desse ano trabalhou com diversas temáticas: Orixás e Mitologia, Personalidades Negras, Comidas, Brincadeiras Afro-brasileiras, desfile de roupas e cabelos, Baobá, Curiosidades, Bonecos Negros, Máscaras, Animais, Vocabulário, dicionário, Músicas e muito mais…

20 de novembro – Consciência Negra

África e Herança Cultural

Avaliando conhecimento!

Boneca de Nó

Colar de papel de revista,

Essa é uma ótima ideia para reciclar papel: faça um belo colar!

Material Necessário

  • Papéis de várias cores (papéis de revista são uma boa idéia)
  • Cola branca
  • Algo para enrolar o papel, como um lápis
  • Tesoura
  • Verniz (opcional)

Passo a Passo


1) Corte um triângulo alongado. A largura da base do triângulo irá determinar o comprimento dos rolos. Tamanhos bons são 5 cm para a base e 18 cm para o comprimento. Experimente também tamanhos diferentes para obter outros resultados.

   2) Espalhe cola ao longo do comprimento da tira de papel como mostrado. Não coloque cola na base para facilitar a retirada do lápis posteriormente.




3) A partir do fim da tira, enrole-a no lápis de maneira não muito forte, deixe uma folga para facilitar a retirada
4) Vá enrolando até que a ponta final do corte se encontre no centro do rolo



5) Tire o rolo do lápis com cuidado
6) Deixe secar. Após secos você pode pulverizar uma camada de verniz para proteger e dar brilho
7) Faça diversos desses rolos. Por fim, junte-os através de um fio para formar o colar.



Leia mais: http://www.revistaartesanato.com.br/geral/colar-com-rolos-de-papel-recicle-papeis/09#ixzz2U3A9lgaY


Festa da África 2012 – na minha escola

E Deus criou o Baobá

O trabalho sobre diversidade na minha escola

Sinopse

SALTO REPORTAGEM – A DIVERSIDADE NA ESCOLA
Escola paulista realiza um trabalho voltado para as questões étnico-raciais. Professores desenvolvem estratégias para mostrar aos alunos a influência africana na formação da cultura brasileira.

Música que fala dos Orixás – Clara Nunes

Linda Música dos anos 70 – Povo afro e orixás!!!!

Consciência Negra – 20 de novembro

História do Dia Nacional da Consciência Negra


Esta data foi estabelecida pelo projeto lei número 10.639, no dia 9 de janeiro de 2003. Foi escolhida a data de 20 de novembro, pois foi neste dia, no ano de 1695, que morreu Zumbi, líder do Quilombo dos Palmares.
A homenagem a Zumbi foi mais do que justa, pois este personagem histórico representou a luta do negro contra a escravidão, no período do Brasil Colonial. Ele morreu em combate, defendendo seu povo e sua comunidade. Os quilombos representavam uma resistência ao sistema escravista e também um forma coletiva de manutenção da cultura africana aqui no Brasil. Zumbi lutou até a morte por esta cultura e pela liberdade do seu povo.

Importância da Data


A criação desta data foi importante, pois serve como um momento de conscientização e reflexão sobre a importância da cultura e do povo africano na formação da cultura nacional. Os negros africanos colaboraram muito, durante nossa história, nos aspectos políticos, sociais, gastronômicos e religiosos de nosso país. É um dia que devemos comemorar nas escolas, nos espaços culturais e em outros locais, valorizando a cultura afro-brasileira. 
A abolição da escravatura, de forma oficial, só veio em 1888. Porém, os negros sempre resistiram e lutaram contra a opressão e as injustiças advindas da escravidão. 
Vale dizer também que sempre ocorreu uma valorização dos personagens históricos de cor branca. Como se a história do Brasil tivesse sido construída somente pelos europeus e seus descendentes. Imperadores, navegadores, bandeirantes, líderes militares entre outros foram sempre considerados heróis nacionais. Agora temos a valorização de um líder negro em nossa história e, esperamos, que em breve outros personagens históricos de origem africana sejam valorizados por nosso povo e por nossa história. Passos importantes estão sendo tomados neste sentido, pois nas escolas brasileiras já é obrigatória a inclusão de disciplinas e conteúdos que visam estudar a história da África e a cultura afro-brasileira.

As Luminárias – lenda do Senegal

                            As Luminárias

Entre as numerosas lendas do continente africano sobressai a dos negros de Senegal, dado que talvez sejam os únicos que têm uma cosmologia digna de tal nome. As suas fábulas mostram que as duas luminárias, isto é, tanto o Sol como a Lua, eram consideradas como superiores aos outros astros. O mito cosmogônico pretende estabelecer as diferenças de ambos os corpos astrais e se propõe explicar – de uma maneira muito simples, embora carregada de conotações míticas e emblemáticas – as grandes diferenças entre a Lua e o Sol. O brilho, o calor e a luz que se desprendem do astro-rei impedem que sejamos capazes de olhar fixamente. Em compensação, podemos contemplar a Lua com insistência sem que os nossos olhos sofram mal algum. Isso é assim porque, em certa ocasião, estavam banhando-se nuas as mães de ambas as luminárias. Enquanto o Sol manteve uma atitude carregada de pudor, e não dirigiu o seu olhar nem um instante para a nudez da sua progenitora, a Lua, em compensação, não teve reparos em observar a nudez da sua antecessora. Depois de sair do banho, foi dito ao Sol: “Meu filho, sempre me respeitaste e desejo que a única, e poderosa deidade, te bendiga por isso. Os teus olhos se afastaram de mim enquanto me banhava nua e, por isso, quero que, desde agora, nenhum ser vivo possa olhar para ti sem que a sua vista fique danificada”.
E à Lua foi dito: “Minha filha, tu não me respeitaste enquanto me banhava. Olhaste para mim fixamente, como se fosse um objeto brilhante e, por isso, eu quero que, a partir de agora, todos os seres vivos possam olhar para ti sem que a sua vista fique danificada nem se cansem os seus olhos”.

Mitologia X Religião

A mitologia abrange várias civilizações do mundo, como a egípcia, a grega e a romana, entre as mais antigas e conhecidas, assim como as astecas, colombianas, escandinavas, guaranis, maias, africanas, hindus, incas, indianas etc.
Muitos desses mitos se confundem entre as religiões como, deuses africanos e santos católicos, deuses gregos com deuses romanos, o deus Alla muçulmano, Senhor cristão e o Jeová judeu, com o mesmo significado.

 Mitologia Afro-brasileira
Xangô, deus do raio e do trovão, Filho de Iemanjá e de Oxalá. Casou-se com três das suas irmãs míticas: Obá, Iansã e Oxum. Tem por escravo Oxumaré (orixá do arco-íris) e é ajudado por Biri, seu criado que rege as trevas, e Afefe, o vento, seu mensageiro, conduzido por Oiá.
Olorum, deus supremo, origem de todas as coisas, em alguns mitos brasileiros de origem africana. A mitologia africana crê na reencarnação do espírito.

Mitologia Africana
Orixás, divindades da religião africana, principalmente do candomblé de origem ioruba. Simbolizam as forças da natureza. Invocados, encarnam nos médiuns, ou filhos-de-santo. Intermediários entre os devotos e o deus superior Olorum. Da cultura ioruba, o culto estendeu-se para outros grupos de africanos e, hoje, também para a população branca. Os principais orixás são Oxalá, Xangô (raio, trovão), Ogum (guerra, luta), Oxóssi (caça, matos), Iemanjá (águas salgadas, peixes), Oxum (águas doces), Omulu ou Obaluaê (doenças, pestes), Oxumaré (arco-iris), Iansã (ventos, tempestades), Nanã Buruquê (chuva), Ibeji (fecundidade) e Obá. Oxalá é macho e femea, Iemanjá, Obá, Iansã, Oxumaré, Oxum e Nanã são femininos. Os demais são masculinos. Na umbanda são representados por santos católicos.
Unkulunkulu, o deus supremo na tradição xosa e zulu do sul da África.


 No mundo, hoje, temos 6 bilhões de habitantes. Cada um com sua crença, ou incredulidade. É assim mesmo… Deuses para todos os gostos, e através dos tempos, cada um tem o seu deus, acredita do seu jeito. 
O que podemos fazer é entender e respeitar a crença de cada um, não ter preconceito!

Deuses Afro-brasileiros e Greco-romanos

Um conto africano

Vamos conhecer Angola?

Artesanato com tema afro em telhas

Uma história: Por que somos diferentes?

Ubuntu

Congada