Arquivos de Categoria: Literatura

Coleções para baixar em PDF

Sem título

Coleções para baixar em PDF

http://rmirandas.wix.com/identidafrica#!colecoes/cz23

Anúncios

Uma fábula africana

Que literatura é esta? Africana?

      De origem, de influência, de temática africana, o certo é que há uma literatura que tem abordado a África e tudo o que pode se atribuir a ela: a diversidade, a multiculturalidade, a etnia, as tradições milenares, as artes, a culinária, os rituais…
       Mas, para falar da África, de uma cultura multi-facetada, não podemos esquecer que falamos de um continente muito antigo, com extensões gigantescas, de tradições culturais variadas, de muitos países, povos, línguas, dialetos, tribos, religiões. A África são muitas Áfricas! A África são muitos povos!
        A produção de obras literárias para crianças e jovens se insere no que podemos chamar de um mercado editorial, em que os editores produzem para atender ou criar demandas. E os professores e pais e outros adultos adquirem as obras, por compra ou empréstimo, até que o livro chegue às mãos dos pequenos. Na verdade, há uma grande “feira” de livros, onde temos que saber escolher o que pode haver de melhor para as nossas crianças e separar as frutas tenras e saborosas daquelas sem gosto.
      Em 2003, foi decretada a Lei Federal n.º 10.639, que mudou a Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional (LDB), ao estabelecer a obrigatoriedade do ensino e transmissão de cultura africana e afro-brasileira nos estabelecimentos de ensino públicos e privados de todo o País.
       Nitidamente, essa proposta aqueceu a edição de livros infantis literários e informativos, o que pode ser verificado na produção recente nacional.

Apresentação de
Ninfa Parreiras


Texto – Os ossos do ancestral

Havia um rei  que se orgulhava muito de seus ancestrais, e que era conhecido por sua crueldade com os mais fracos.

Certa vez, caminhava com sua comitiva por um campo, onde – anos antes – havia perdido seu pai  em uma batalha, quando encontrou um homem santo remexendo uma enorme pilha de ossos.

– O que você está fazendo aí? – perguntou o rei.

Honrada seja Vossa Majestade – disse o homem santo.  – Quando soube que o rei vinha por aqui, resolvi recolher os ossos de vosso falecido pai para entregar-vos. Entretanto, por mais que procure, não consigo achá-los: eles são iguais aos ossos dos camponeses, dos pobres, dos mendigos e dos escravos.

Paulo Coelho

Orgulho negro.com